segunda-feira, 28 de março de 2011

Andamento do projeto

No relatório parcial publicado aqui, é dito que a constatação da conservação de energia mecânica no sistema através de uma análise quantitativa seria feita. Realmente estamos trabalhando nisso porém algumas dificuldades foram encontradas.
Existe uma desigualdade nas alturas máximas atingidas dos dois lados da trajetória do pêndulo. Isso faz com que a energia potencial calculada seja diferente em ambos os lados. Com isso o valor obtido para a energia mecânica nesses lados tem valores distintos.

Dentro de alguns dias será publicada a planilha com os gráficos e resultados desta parte do experimento.

Uma segunda parte do trabalho já teve seu início e por sinal muito bom. Existe um experimento onde usamos uma caixa de som de computador modificada, um software gerador de frequências, um fio e um suporte onde é possível criar ondas estacionárias.
Com elas podemos determinar desde a velocidade da onda na corda até a tração a que a corda está sujeita ou mesmo a densidade linear do fio. Porém quando o experimento é realizado de maneira tradicional, nos cálculos existe uma defasagem de um fator 2 que até então não tinha explicação. Usando a câmera lenta (peça chave deste projeto) foi possível descobrir que a corda vibra com uma frequência duas vezes menor do que o valor apontado na tela do programa gerador de sinais.
Numa próxima etapa, esse experimento será realizado com diferentes fios. Nos resultados compararemos os valores obtidos para a densidade linear do fio com a densidade esperada (medida sabendo o comprimento do fio e sua massa).

Tenho esperança de que esse será um bom trabalho e resultará numa bela publicação.